Vilões escondidos: 5 coisas que interferem nossa audição

 

EscutarEscutar

Perambulando pela  net, sempre à procura de assuntos interessantes, achei esse post de 2015 muito interessante. Resolvi traduzir e dar uma adaptada com meus pitacos….  🙂

Quando pensamos em causas da perda auditiva uma lista aparece: idade,  exposição ao ruído, antecedentes familiares, etc

Mas atualmente sabemos que outras coisas podem interferir, contribuindo com a perda auditiva. E acreditem são coisas que nos deparamos no dia-a-dia e não damos muita bola…

O recado é simples! Cuidar da saúde geral é cuidar da audição também!

Diabetes & Problemas Cardíacos & Perda Auditiva

De acordo com a Associação Americana de Diabetes, quase 30 milhões de pessoas apresentaram diabetes em 2012. E 86 milhões com pré-diabetes, ou seja, ao exame de sangue os níveis de açúcar eram maiores que o normal mas não tão altos para serem classificados como diabetes. O problema é que pessoas diabéticas tem o dobro de chance de ter uma perda auditiva e os pré-diabéticos tem  30% mais chance. As causas ainda não foram identificadas mas acredita-se que os altos níveis de glicose no sangue pode causar danos nas pequenas veias e nervos do ouvido interno, levando à perda de audição.

#ficadica Diabéticos e pré-diabéticos devem fazer exames auditivos anualmente e  regularmente praticar exercícios , monitorar o nível de glicose no sangue,  manter um peso adequado e manter um volume adequado ao utilizar fone de ouvido.

Antibióticos & Perda Auditiva

Você sabia que vários antibióticos comuns podem causar perda de audição? Alguns deles são ototóxicos ( ou seja, fazem mal para o ouvido) e podem provocar perda de audição (lesão de ouvido interno) ou efeitos colaterais como zumbido e tontura ( a famosa “labirintite).

Há muito tempo os antibióticos tem culpa no cartório quando o assunto é ouvido. Em 1940 a estreptomicina que foi usada para tratamento de tuberculose deixou muitos pacientes com perda de audição e tontura. Depois apareceram os aminoglicosídeos, muito utilizados no tratamento de infecções bacterianas de difícil controle. O que acontece é o seguinte: a bactéria causa inflamação, que faz com que as estruturas delicadas do ouvido fiquem vulneráveis às toxinas presentes nos antibióticos. Além disso, há fatores que interferem (infelizmente para pior, é claro) como idade, hereditariedade, pré-existência de perda auditiva e dosagem inadequada da medicação.

#ficadica Antes de tomar qualquer antibiótico pergunte ao seu médico sobre os riscos. E se vc sentir piora da audição, zumbido ou tontura, entre em contato urgente com seu médico para a conduta mais adequada.

Obesidade & Perda Auditiva

Que relação tem o peso com a audição? Muita. Um estudo realizado num hospital de Boston (WBrigham and Women’s) avaliou a atividade física, índice de peso corporal, cintura e perda auditiva de mais de 68.000 mulheres no período de 1989 e 2009. Os resultados mostraram que o risco de perda auditiva aumentou conforme o BMI e tamanho da cintura aumentavam. A provável correlação deve-se ao peso extra que coloca tensão nos capilares que são responsáveis pelo transporte de oxigênio para as células. Então as delicadas células ciliadas do ouvido não recebem o oxigênio necessário e morrem.

Atenção! Os jovens não estão imunes à isso! Um outro estudo recente revelou que adolescentes que tinham o seu BMI em 95 ou mais tinham o dobro de risco para perda auditiva unilateral de frequência grave (sons grossos como voz de homem, por exemplo).Os pesquisadores sugeriram que a razão desta perda tem relação com inflamação, que danifica todos os órgãos do corpo incluindo o sistema auditivo. Mas a boa notícia é que se houver mudança nos estilo de vida (dieta e exercícios) essa perda pode ser reversível.  Para os mais idosos a questão é minimizar os riscos. Esse estudo de Boston demonstrou que nas mulheres que caminhavam no mínimo 2 horas por semana, o risco para perda auditiva reduziu em 15% em relação às que caminhavam menos de 1 hora por semana.

Problemas Cardíacos & Perda Auditiva

O ouvido interno é mais sensível à mudanças no fluxo sanguíneo do que qualquer outra parte do corpo. Há uma importante relação entre audição e saúde cardiovascular: pesquisadores acreditam que a perda auditiva pode ser um indicador precoce de doença cardíaca. Uma sistema cardiovascular saudável significa um fluxo sanguíneo adequado e logo uma boa saúde auditiva.

A renomada revista cientifica Laryngoscope publicou um estudo que mostrou forte correlação entre padrões de audiometria e doenças arteriais cerebrovasculares e periféricas, indicando que a audiometria poderia ser uma ferramenta de triagem para pacientes com risco potencial de acidente cardiovascular.

#ficadica Essa correlação mostra que monitorando sua saúde auditiva ( junto com uma dieta saudável e prática de exercícios moderados) é possível reduzir o risco de acidente vascular, que se tornou a primeira causa de morte nos EUA.

Stress & Perda Auditiva

É fato conhecido que o stress pode levar à uma saúde ruim e agora sabemos que a audição pode ser afetada também. O Jornal Internacional de Tinnitus (zumbido) publicou os resultados de um estudo que descobriu a relação entre stress e perda auditiva súbita.É um ciclo vicioso: stress leva à problemas físicos, como pressão alta e problemas cardíacos que por sua vez afetam o fluxo sanguíneo do ouvido interno. E assim vai…

#ficadica: Bons hábitos de sono, dieta saudável, prática de exercícios…. tudo isso pode minimizar o stress. E acrescento aqui… Pensamento Positivo sempre!  🙂

Boa semana a todos!  🙂

Por: Mirella Horiuti

Para: www.naoescuto.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *